domingo, 13 de março de 2016

Dia 12 - Sábado e os ovos


Ao pequeno-almoço, juntei parte do batido que tinha feito no dia anterior a dois ovos mexidos e duas pêras. 

Ao almoço, passei pelo "Rui dos Pregos" e provei o bife grelhado sem o famoso molho. De facto, não é a mesma coisa, mas o ovo estrelado por cima compôs o prato. A acompanhar, uma salada de alface, tomate e cenoura. 
A história mais gira foi quando perguntei ao empregado o que tinha de fruta. O jovem olhou para mim com uma cara de estranheza, como se eu tivesse sido a primeira pessoa a pedir fruta naquele dia, depois de uma refeição. A casa estava cheia e, na mesa em frente, aparecia cheesecake, pudim, na mesa ao lado, arroz doce para a criança, embora os pais tivessem decidido roubar umas colheradas para acompanhar com o café... 
E o jovem empregado respondeu-me: "Tenho uvas". Comentei: "Só?!". Pois, parece que só havia uvas, embora eu tenha visto uma taça com frutas na cozinha. Talvez fosse fruta decorativa.
Passados alguns minutos, o jovem empregado chega-se à beira da mesa e diz que também tinha salada de frutas. Bom, melhorou! Mas as opções de fruta num restaurante com casa cheia a um sábado ao almoço resumem-se a uvas e salada de frutas. Não comi nem uma coisa, nem outra e segui o meu caminho até à biblioteca para estudar. 

Jantar... Bom, não foi o final de noite que tinha programado, mas foi o possível. Dei por mim, no final da noite, depois de passar pela Moda Lisboa, no H3. Podia ter escolhido o menu Benedict, mas fiquei pelo hambúrguer simples com a salada do costume. 
A ideia inicial era frango no restaurante "Bom Jardim", um velha casa da especialidade, perto do Rossio. Mas parece que alguém me rogou uma praga e não me quer lá, porque quer sexta-feira, quer sábado o plano de lá ir acabou por ser alterado e eu fiquei sem me puder deliciar com aquele frango assado. Mas desta semana não passa! 

Sem comentários:

Enviar um comentário