segunda-feira, 14 de março de 2016

Dia 13 - Domingo e as túbaras

Vou-me deter primeiro sobre o alimento do meu jantar: as trufas do Alentejo também chamadas por túberas ou túbaras.  
Penso que túbaras são aceites neste programa alimentar, pois na realidade é um tubérculo. 
Nunca apanhei túbaras, mas já andei em busca dos espargos perdidos pelos campos do Alentejo. Programa bastante interessante, principalmente para quem é da cidade e não sabe qual é o aspecto de um espargo.
A túbara tem algumas especificidades: crescem no Alentejo e no Ribatejo devido ao tipo de terra e de clima, e costumam ser apanhadas entre fins de Fevereiro e início de Março.
Em Portugal, quem as apanha, fá-lo para consumo próprio, ao contrário daquilo que acontece em países como Espanha e França, onde há muito interesse na sua comercialização. Dizem que que não é um alimento muito conhecido, embora eu oiça falar deste pequena, mas penso que, cada vez mais, as pessoas estão alertas para a novidade e que, com a vaga de programas de televisão sobre cozinha, o conhecimento das túbaras não seja assim tão diminuto.  

Quanto a mim, a experiência que tenho com as túbaras é dos petiscos ao final do dia no Alentejo. Como já disse, a minha mãe é alentejana e, desde miúda, que saboreio muitas das iguarias alentejans e as túbaras não são exceção. Acompanham bem com ovos, numa omelete com pão alentejano, mas já vi quem as coma simples. Há também quem lhes junte carne e legumes ou até faça túbaras de fricassé.
Eis, então, o meu jantar: omelete de espargos com túbaras ou túberas, tomates cherry e couve roxa. O salmão fumado ficou para entrada. 

Agora sim, as restantes refeições do dia, hoje sem tanto interesse como nos outros dias. 
batata doce com kiwi e morangos
frango de caril com cenoura e couve roxa










Sem comentários:

Enviar um comentário